Ranking Google SEO Orgânico

Novas Tendências e Técnicas de SEO

Deixe seu site super otimizado para o Google

O número de recursos que uma marca pode dispor para estar acima de seus concorrentes no ambiente online é maior a cada ano. Uma das mais importantes ferramentas para isso é a otimização SEO para mecanismos de busca como o Google.

Hoje a otimização de Sites para Mecanismos de Busca envolve ações estratégicas sofisticadas que combinam o SEO Técnico com atividades de múltiplas áreas como Relações Públicas, Branding MKT, Análise de Grandes Dados, e experiência do usuário (UX), por exemplo.

De 2020 pra cá, muito devido às mudanças de comportamento digital estimuladas pela pandemia, o Google passou por várias atualizações que trouxeram picos de volatilidade para a SERP brasileira, causando variações nas métricas usadas pelo mecanismos de busca e consequentemente alterações dos resultados de busca orgânica.

Ferramentas que medem as flutuações de posicionamento para os resultados, como o SERP Volatility, SEMRush Sensor, o Mozcast, e o RankRanger identificaram vários Core Updates oficialmente realizados pelo Google entre 2020 e 2021. Todos eles vieram para valorizar os sites focados no usuário, que possuam uma boa experiência de usuário (UX) e conteúdos de qualidade.

As 15 Novas Tendências de SEO em 2021

 Saia na frente se antecipando aos seus concorrentes e faça as mudanças necessárias para alcançar melhores posições no Google, maximizando seus resultados.

Montamos esse conteúdo com a intenção de ajudar você a descobrir as 15 novas tendências de SEO que podem ser decisivas para alcançar o topo na busca orgânica do Google.

Com isso, a Agência Sacchi Design reforça seu propósito  de colaborar com a superação dessa grande crise potencializando o crescimento das empresas clientes com soluções inteligentes e conectadas.

Boa leitura!

1.  Google Page Experience 

Além dos fatores tradicionais usados pelo algoritmo de busca do Google, também é necessário considerar o comportamento e as preferências do público. Em última análise, o fator determinante para manter um bom posicionamento é cada vez mais a qualidade da experiência que você oferece aos visitantes do seu site.

Nesse sentido, se seu desejo é ter seu site posicionado no topo da primeira página na busca natural do Google, é importante estar atento para atender aos requisitos novos do update denominado Page Experience, uma atualização capaz de medir e avaliar de maneira mais eficiente o modo como um usuário interage com uma página da web. Para isso, o Google usa 3 novas métricas chamadas de Core Web Vitals (ou Métricas Essenciais da Web):

> O LCP (Large Contentful Paint) mede o tempo gasto para que seja visível o primeiro conteúdo de uma página web, sendo que o carregamento deve acontecer em até 2,5 segundos para que a velocidade seja considerada boa.

> O FID (First Input Delay), mede a interatividade de uma página mensurando quanto tempo ela demora para responder a um comando feito pelo seu usuário, como, por exemplo, um clique ou a abertura de um box. Sendo considerado um bom tempo para o FID 100 milissegundos

> O CLS (Cumulative Layout Shift), que mede a estabilidade de uma página durante a sua navegação. Ou seja, ao rolar uma página para procurar uma informação o Google valoriza o site que ofereça uma experiência sem surpresas desagradáveis como anúncios que surgem em lugares inadequados, botões que flutuam sem necessidade e um layout muito instável.

2.  SERP Features

SERP, sigla em inglês para Search Engine Results Page, significa “Página de Resultados”, e  representa as páginas que exibem os resultados em uma busca na Internet.

Já as SERPs Features são aplicações de soluções que facilitam o acesso à informação para o usuário sem necessidade de acessar os resultados de busca. Essas novas aplicações são outra forte tendência nas páginas de busca, através de recursos como boxes informativos de resultado zero, TOP Stories, Twitter e Google Flights, Knowledge Graphs, Related Questions.

Ao buscar, por exemplo, por [vacinação Brasil] ou [previsão do tempo], não é preciso acessar nenhum resultado nem mudar de página para obter a informação desejada. A isso damos o nome de resposta direta.

3.  Concentração de cliques no TOP 3

Ao pesquisar, por exemplo, por [smart tv], os primeiros 3 resultados estão ao lado de anúncios com alguns exemplares de televisores em exposição. E para ver os demais resultados na busca orgânica só com a rolagem da página.  

Somente após a terceira rolagem e abaixo da sessão “As pessoas também perguntam” e de mais duas intervenções é que os resultados orgânicos retornam à tela do usuário, expondo do quarto ao nono lugar antes de um último anúncio. E isso é só mais uma evidência de que a maior concentração de cliques da SERP estará nos dois ou três primeiros resultados orgânicos, já que vem aumentando a incidência de recursos visuais capazes de atrair a atenção do usuário ao topo de página, aumentando a percepção de que o que está no topo é mais relevante.

Isso significa que se você quer se destacar na busca natural do Google, é fundamental competir com cada vez mais força por estas três primeiras posições.

4.  Foco na intenção do usuário pra qualificar clique

 Intenção de busca é o conteúdo que o usuário deseja ver quando realiza uma pesquisa. O Google inovou nesse sentido e otimizou a compreensão dos termos pesquisados pelo usuário para, assim, entregar exatamente o que ele espera na SERP.

O Google prioriza textos produzidos por pessoas para pessoas. E desde 2019, o seu algoritmo BERT (Bidirectional Encoder Representations from Transformers) elevou o nível de compreensão dos termos pesquisados, viabilizando a compreensão de conteúdo natural, autêntico, original e de qualidade com foco na intenção de navegação do usuário, de modo que agora consegue interpretar até gírias e regionalismo, para entregar o que ele deseja.  

Por isso, o texto precisa ser escrito pensando em como ele pode ajudar o usuário . Quanto mais útil e de qualidade for o conteúdo, mais relevante será pro usuário. E vendo valor no conteúdo, consequentemente mais tempo ele ficará na sua página. Por isso, crie conteúdos que foquem em resolver (ou ajudar a solucionar)  as necessidades do usuário.

A inteligência artificial muda crescentemente a maneira como mecanismos de busca compreendem a intenção do usuário. Com o avanço do machine learning, o algoritmo é capaz de identificar nossos desejos de um modo cada vez mais preciso, através de uma extensa coleta de dados sobre nosso comportamento na internet.  E diante disso, a intenção de busca já é um dos fatores de ranqueamento mais importantes para o Google.

Portanto,  construir um conteúdo fortemente voltado à intenção de busca não é apenas uma tendência de mercado, mas uma estratégia decisiva de otimização.

O Google captou as mudanças de hábitos dos consumidores, e isso refletiu em como o buscador é usado. Questões relacionadas a momentos do cotidiano, tipo  “como consertar o ar condicionado do carro” ou “comprar teclado de desktop”, por exemplo. O buscador passou a qualificar essas pesquisas como “micro-momentos”.

E atualmente o Google separa 4 desses micro-momentos como os principais:

imagem adaptada do site “Think with Google

Portanto crie conteúdos com uma linguagem natural, que atenda diretamente à intenção de busca do usuário do seu site.

Os principais itens a serem levados em conta para UX são:

  • Páginas que carregam rapidamente
  • Dar atenção não só ao design, mas à experiência do usuário como um todo 
  • Ter protocolo HTTPS
  • Sem anúncios intrusivos que atrapalhem navegação
  • Estabilidade dos elementos de página
  • Interatividade rápida 

5.  E-A-T cada vez mais forte

Mas além do desafio de desenvolver um conteúdo voltado ao que o seu usuário deseja, é preciso que esse conteúdo esteja amparado pelos três pilares de controle de qualidade, que compõem o conceito de E-A-T: Expertise, Authority e Trustworthiness.

Lançado pelo Google em 2019, o Search Quality Evaluator Guidelines é um documento com um valioso conjunto de orientações que revela que para ser considerado um conteúdo de qualidade para o Google, o conteúdo dos sites deve se basear especialmente em três características fundamentais: especialização, autoridade e confiança — fatores essenciais para que o seu site seja capaz de se sustentar na briga pelas melhores posições no Google. Vejamos detalhadamente esses três diferenciais de alta qualidade:

Expertise
Bom conteúdo é aquele capaz de solucionar uma demanda ou problema. Se, por exemplo, um usuário da terceira idade deseja fazer um plano de saúde, mas antes faz uma pesquisa para saber qual é o melhor convênio médico para idosos, por exemplo, o que ele deseja encontrar, sem enrolação, é o nome e a marca dos melhores convênios e planos de saúde de empresas que sejam especialistas nisso.

E para medir a utilidade de um conteúdo, o Google usa a taxa de rejeição: conteúdos que são acessados com certa frequência, mas não conseguem reter o usuário, muito provavelmente não atendem às suas expectativas, logo não possuem expertise o suficiente. Portanto, é importante construir a percepção da sua marca e empresa como um especialista, sendo necessário para isso que se produza e disponibilize conteúdos realmente especializados.

Authority
Além de conteúdo especializado, deve-se garantir que o usuário e o mecanismo de busca reconheçam a autoridade do conteúdo e do seu site através de vários fatores, tais como:
> backlinks poderosos com um bom trabalho de link building;
> buscas pela marca;
> menções sem link;
> autoridade da agência ou do profissional que desenvolveu o conteúdo do site.

Este conceito se aplica, especialmente, aos sites da categoria YMYL (Your Money, Your Life), cujos segmentos são relacionados a finanças pessoais, saúde e outros assuntos que causam impacto direto na qualidade de vida do consumidor da informação.

Trustworthiness/Confiança
Com conteúdo especializado e autoridade reconhecida, o site precisa de mais um atributo para ser considerado de qualidade, que é o quesito site seguro.

É importantíssimo que o site transmita confiabilidade e garanta a proteção dos dados do usuário.


Alguns navegadores, como o Chrome, por exemplo, avisam o usuário quando a navegação em um dado site não é segura.

Para que seu site seja considerado mais seguro, é preciso que possua:

  • Depoimento de clientes/usuários;
  • Protocolo SSL (HTTPS);
  • Selos de segurança;
  • Oferta de métodos de pagamentos reconhecidamente seguros;
  • URLs claras e amigáveis. 

Esses três fatores (EAT), somados ao conjunto de otimizações técnicas, ajudam a posicionar seu site com certeza na vanguarda em se tratando de competir pelas melhores posições no Google.

6. SEO Técnico continua essencial

As otimizações técnicas continuam em alta.

Por mais que os algoritmos estejam cada vez mais sofisticados em sua compreensão linguística, os sites ainda são avaliados por robôs que, por sua vez, têm muito mais facilidade em se comunicar sob linguagens operacionais.

Isso significa que aspectos como dados estruturados, meta tags, rich snippets, breadcrumbs, estruturação de URLs continuam muito relevantes.

Os objetivos do SEO Técnico são, antes de qualquer outra coisa, garantir a indexação correta de um site, e hoje isso está muito mais orientado a dados.

Dentre os tópicos que devem receber atenção, estão:
> Títulos;
> Conteúdos duplicados ou curtos;
> Heading tags pertinentes, sobretudo H1 duplicada;
> Páginas com erros 40X;
> Meta descrições;
> Redirects 301.

Para garantir uma boa manutenção do seu SEO Técnico, invista em um checklist que deve ser revisitado de tempos em tempos e use alguma ferramenta de crawling como Screaming Frog, Sitebulb ou GreenFlare (gratuito).

7. SEO combinado com construção da audiência do site

Se por um lado precisamos do Google, e de sua visibilidade, ao mesmo tempo também precisamos construir estratégias de conteúdo e interatividade fortes o suficiente para reter o usuário e impedir que ele retorne ao buscador pelo maior período de tempo possível. Esse trabalho de construção de audiência, quando relacionado ao aumento do tráfego direto de uma marca, pode impactar profundamente o SEO de um site.

Dados da ferramenta SimilarWeb revelam que de cada 10 acessos a sites de e-commerce, aproximadamente 6 ocorrem via busca e 3 via acesso direto digitando o endereço do site no navegador.

Em vista disso, ao escolher a melhor agência de web design para criar o seu site, é importante que, dentro do time de SEO da agência, existam profissionais capazes de agregar valor de branding ao trabalho de posicionamento de marketing da marca. Tudo para fortalecer sua marca, além de garantir posicionamento otimizado do seu site no Google.

8. SEO para buscas de marca está em alta e é o futuro

Imagine um empresário que faz uma intensa campanha imprensa divulgando sua marca e quando alguém interessado procura no Google direto pela marca, esta aparece mal posicionada até mesmo para o próprio nome. Infelizmente, isto ainda é muito comum; e revela o quanto é importante focar na otimização de marca.

A nova tendência é aumentar o volume de buscas pela marca, de modo a conseguir impactar diretamente as vendas.

SEO para busca pela marca para aumentar as vendas

O SEO para buscas de marca é uma estratégia poderosa, já que esse tipo de busca, mais do que qualquer outro tipo de pesquisa, revela uma intenção muito clara do usuário: ele quer consumir daquela marca e sabe o que procura.

Como analisar dados de marca e como aumentar sua demanda?

É importantíssimo compreender a relação entre o quanto uma marca é pesquisada e a intenção do usuário.

Ao analisar o quanto uma marca é pesquisada e que intenção é revelada através destas buscas, fica mais fácil otimizar o seu site para elas, já que você passa a ter maior percepção dos gatilhos que levam as pesquisas por sua marca aumentarem e como utilizá-los ao seu favor, observando ao mesmo tempo como os concorrentes se comportam diante do seu uso estratégico dos gatilhos.

9.   Tempo de permanência é importante métrica usada pelo Google

O tempo que o usuário permanece no site ajuda ranquear melhor no Google. E, como já falamos antes, para conseguir reter a atenção e construir audiência qualificada, é imprescindível conhecer a verdadeira intenção do usuário do site, oferecer um conteúdo de qualidade e transmitir autoridade e confiança.

A métrica específica para calcular o tempo de permanência de um usuário dentro de um site antes de retornar a SERP é denominada Dwell Time, e é um dos mais significativos fatores de ranqueamento atuais. E a sua importância só tende a aumentar.

10.   Amadurecimento do JavaScript SEO

Atualmente, houve um avanço importante na construção de sites em Java Script cujo conteúdo não está no HTML-base, mas na própria camada JS. Felizmente, o Google está dando passos no sentido do algoritmo de busca conseguir ler e assimilar plenamente esse tipo de site.

Para oferecer recursos aos profissionais que queriam sites mais modernos sem terem seus posicionamentos prejudicados, alguns frameworks para JavaScript foram lançados com funcionalidades otimizadas para SEO, como por exemplo os famosos React e Next.JS.

Em termos práticos, os sites desenvolvidos em Java Script são interessantes porque possuem grandes vantagens sobre o modelo clássico de programação: são mais rápidos, interativos e leves.

11. Backlinks: fundamentais para sites TOP 3 da SERP

Os links usados no site formam um importante fator de ranqueamento levado em consideração pelo Google e são, hoje, o maior fator de desempate nas disputas entre sites que possuem qualidades semelhantes, além de serem fundamentais para os sites posicionados no TOP 3 da SERP.

Uma estratégia atual eficaz para desenvolver link building é focar em conquistar links de veículos de médio e grande porte com grande autoridade de domínio, e que são ótimos para SEO, através de estratégias de assessoria de imprensa.


Hoje o SEO é multidisciplinar, sendo construído tanto pelo seu escopo científico, quanto por profissionais relacionados a outros setores, como o de comunicação. Conquistar links de plataformas e canais de imprensa com grande autoridade é uma forte tendência de SEO. 

E o time de assessoria de imprensa é importante não só para a obtenção de backlinks, mas para a visibilidade da marca de modo geral.

12.   Criação de Dados para construir links poderosos e maior visibilidade

Mas, assim como o SEO, o mercado das notícias também se aprimorou e não basta apenas ter um bom conteúdo para conquistar o seu espaço, é necessário ter um diferencial: dados.

Os dados são um dos maiores atrativos quando falamos em divulgação de pautas para grandes veículos de imprensa e, necessariamente, são eles que transformam um simples fato em uma notícia. E o ideal é que esses dados sejam exclusivos.  Para isso, os profissionais de SEO voltados à análise de dados serão cada vez mais importantes.

Na atualidade, investir em geração de dados já é uma das mais promissoras estratégias em SEO, porque traz para o seu site um atributo de valor superior que outros aspectos de otimização não conseguem alcançar.

Para viabilizar a geração rápida de dados existem várias ferramentas e métodos tais como,  pesquisas de opinião, enquetes, dados de analytics e estudos de caso.

E como a assessoria de imprensa com foco em geração de dados é forte tendência, vale sempre dedicar tempo na produção de conteúdos para o blog integrado ao seu site.

13.   Predomínio da experiência mobile

O exponencial crescimento do consumo massivo de smartphone e de soluções web como redes sociais e compras pela internet é tão impactante que em 2019, o Google anunciou seu Mobile-First Indexing: que passa a considerar a versão mobile como a primeira versão de um site a ser analisada, e não a versão para desktop.

E o Google também anunciou que a partir de março de 2021, sites que não tiverem versões mobile serão totalmente desindexados da SERP.

Dados da hitwise revelam que hoje, mais de 60% das pesquisas no Google provêm de dispositivos móveis. E com a pandemia, o mobile está se fortalecendo mais e mais. Novas plataformas como o Facebook Shops, por exemplo, tiveram adesão imediata.

E para conquistar essa (grande!) parcela de usuários, é crucial estar atento aos detalhes técnicos quanto a SEO e responsividade e também quanto à experiência do usuário, sempre procurando entender e atender às expectativas. Dados do próprio Google revelam que se o tempo de carregamento de um site, no celular, sobe de 1 para 3 segundos, sua taxa de rejeição pode chegar a até 32%.

14. Maior popularização da busca visual e aumento de tráfego do Google Imagens

Fazer SEO para as imagens do site está se tornando um aspecto essencial da otimização. Isso porque o mindset do usuário está cada vez mais voltado para as imagens, ainda mais com a popularização do Tik Tok e do Instagram.

O consumidor deseja imagens satisfatórias de produtos e dos objetos de pesquisa, sendo crescente a parcela de consumidores que se decidem em relação a uma compra a partir de uma boa imagem.

Ferramentas de busca de imagens, como o Google Lens, estão se aperfeiçoando para conseguir apresentar resultados cada vez melhores e isso exige que as empresas se atualizem para as novas diretrizes de qualidade.

Na hora de elaborar a sua estratégia de SEO, é importante procurar expandir o potencial orgânico das imagens, através da otimização de alguns fatores decisivos de ranqueamento, como por exemplo o nome dado ao arquivo de imagem, uso de tag alt text, uso correto de dimensões e tamanho da imagem etc.

15.  SEO para vídeos

O YouTube é, hoje, o segundo maior buscador do mundo, perdendo apenas para o seu senhorio, o próprio Google. Portanto, se você produz conteúdo para a internet, deveria começar a considerar seriamente versões em vídeo desses conteúdos, principalmente no que diz respeito a tutoriais, resenhas e explicações.

Dicas para melhorar a otimização de vídeo:
>  Encontre palavras-chaves importantes para vídeos. De modo geral, palavras como “o que é” e “como fazer” possuem alto volume de busca.
>  Escreva um título altamente atraente e sugestivo;
>  Melhore a retenção estruturando as informações concedidas de modo a prender a atenção do usuário;
>  Otimize suas tags, snippets e descrições. Isso impacta no modo como o buscador e o usuário enxergarão o seu conteúdo;
>  Escolha uma miniatura clara e interessante, para que o usuário consiga ter uma boa noção do que ele assistirá;
>  Adicione legendas, pois elas são rastreáveis pelos mecanismos de busca e facilitam a leitura dos crawlers;
>  Encoraje seus espectadores à engajar com o seu vídeo por meio de comentários, likes e assinatura no seu canal.

Conclusão:

Essas 15 tendências evidenciam o quão grande é a atual revolução no SEO. No decorrer deste artigo, revelamos que SEO forte é fruto de vários atributos combinados, como, por exemplo, possuir bom conteúdo, excelente experiência de navegação, tempo de carregamento rápido, e corresponder com precisão à intenção de seus usuários, além de ter backlinks fortes.

Todos avanços em inteligência artificial e machine learning somados estão possibilitando ao Google conhecer seus usuários como nunca. E isso se reflete em maior exigência em vários níveis para que o mecanismo de busca entregue cliques. O Google valoriza cada vez mais quem consegue disponibilizar a melhor experiência para o usuário.

Seu site já está sintonizado com essa nova realidade?

Se você deseja alcançar e manter posicionamento top na busca orgânica do Google, é melhor sair na frente da sua concorrência.

SEO Top com equipe profissional

O SEO está evoluindo rápido e se torna agregador de várias ciências e disciplinas, e isso exige nova organização e distribuição do trabalho, com equipes profissionais multidisciplinares. Coerente com essa tendência, a Agência Sacchi Design trabalha com quatro frentes operacionais multidisciplinares especializadas de SEO:

  1. SEO Técnico & Desenvolvimento
  2. Análise de Dados
  3. Planejamento e Experiência do Usuário
  4. Conteúdo segmentado e otimizado

Com essa inovadora metodologia organizacional, conseguimos agregar muito valor e ganhar tempo, tornando o processo mais rápido, eficiente e eficaz.

Rolar para cima